Pesquisar este blog

SEJA BEM VINDO

Este é o nosso espaço para reflexão, comunhão e relação com Deus e sobre Deus.
"A Teologia deve aproximar os homens de Deus , se a sua teologia te distanciar reveja seus fundamentos"

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

O Evangelho da Simplicidade e a simplicidade do Evangelho.






video
O evangelho de Jesus Cristo é simples. Simples na forma e simples no conteúdo. Assim o Evangelho da simplicidade é uma expressão de Louvor, é simplesmente um redirecionamento à simplicidade de Cristo (2 Co 11:3) que nasceu, cresceu, viveu e morreu num cenário simples. Neste cenário Ele anunciou, de forma muito simples através de palavras, exemplos e ações, as boas novas do reino de Deus. Convidou pessoas para estarem e aprenderem com ele. Sofreu as incompreensões do sistema religioso e político do seu tempo. Morreu e ressuscitou; Após a ressurreição, continuou seu projeto de simplicidade enviando seus discípulos para anunciarem, tal como Ele, as boas novas, levando homens e mulheres a guardarem tudo o que ele ensinou, integrando-os numa comunidade trinitária por meio do batismo, e prometeu estar com eles todos os dias, até o fim.
Porém, os cristãos foram se multiplicando, organizando igrejas, criando instituições, formas e ritos e o evangelho da simplicidade foi dando lugar ao evangelho da complexidade e o que era confessional tornou-se intelectual, o que era simples tornou-se complexo, ou seja, a simplicidade do evangelho foi substituída pela sofisticação e complexidade institucional.
Aí passamos a justificar a sofisticação com expressões como “busca por excelência”, “relevância”, “qualidade”. Parece justo. O problema é que a excelência ou a relevância do evangelho está exatamente na sua simplicidade. É cada vez mais fácil encontrar cristãos que acharam a “igreja certa” do que os que simplesmente encontraram o evangelho. A sofisticação da igreja mantém o cristão num estado de espiritualidade falsa e superficial. A maior deficiência do cristianismo não está na forma, mas no conteúdo, pois, apenas e tão somente apenas, o evangelho puro e simples é capaz de transformar vidas irrecuperáveis aos olhos humanos.
O Evangelho da simplicidade é um contraponto à Teologia do Sucesso e da Prosperidade; Um apelo a um estilo de vida cristã simples, visível nos primeiros discípulos, sem exageros, sem extremos, centrada no equilíbrio, no bom senso e sobretudo na coerência, a fim de que tenhamos, ao mesmo tempo, uma vida digna diante dos homens e abundante diante de Deus.
Infelizmente a simplicidade e pureza do evangelho já não provocam prazer na maioria dos cristãos ocidentais. A sofisticação da igreja, sim! É o vaso tornando-se mais valioso que o tesouro contido nele. Se a música não estiver no volume perfeito, o ar condicionado no ponto exato, a pregação no tempo apropriado, com conteúdo que agrade a todos os paladares e com o bom uso dos aparatos tecnológicos, talvez eu não me agrade desta igreja.

Mas o Que o Evangelho da Simplicidade não é? Não é a Teologia da pobreza ou apologia da miséria, não se coaduna com a Teologia da Libertação e nem faz apologia preconceituosa às riquezas sabiamente administradas; As coisas materiais são boas, porém devem ser limitadas; e a prosperidade, quando houver, deve acontecer naturalmente, e desenvolver-se a serviço do Reino de Deus; Não é uma apologia à superficialidade espiritual e nem um retrocesso acadêmico, científico e tecnológico, muito pelo contrário, um retorno profundo às Escrituras, ao estudo teológico e ao discernimento espiritual, fazendo o bom uso de todos os recursos disponíveis para o cumprimento de nossa missão no Reino de Deus; Não é uma reforma institucional ou eclesiástica, mas um retorno ao Caminho, um redirecionamento ao estilo de vida ensinado e vivido pelo o Senhor Jesus e seguido pelos  primeiros discípulos (Lc 9:23) .
O Que prega o Evangelho da Simplicidade? O Evangelho da Simplicidade adverte para o cristão não viver em função das coisas deste mundo (1Jo 2.15). O cristão pode usar as coisas do mundo, mas de tal forma, que não seja devoto e nem escravo de nenhuma delas. O cristão deve evitar trabalhos, cuidados e apegos que podem dificultar ou impedir seu serviço ao Senhor (Mt 6:24).
O Evangelho da Simplicidade adverte que, pelo fato de o tempo se abreviar, devemos sujeitar tudo nesta vida a uma relação prioritária com o Senhor Jesus, o qual deve ser o nosso tesouro maior e ocupar o primeiro lugar em nosso coração (1 Co 7:29-32).
O Evangelho da Simplicidade entende que as nossas metas e conquistas devem ser focadas no Reino de Deus, onde deve estar o nosso tesouro; para que isso aconteça precisamos de um despojamento da sobrecarga de tarefas, trabalhos e preocupações desta vida. O Evangelho da Simplicidade prega que devemos ser ricos para com Deus, acumulando tesouros nos céus (Lc 12:21; Mt 6;19-21). Através do Evangelho da Simplicidade entendemos que, como igreja nesta terra, somos simplesmente peregrinos seguindo o Caminho para a Casa do Pai. Saiba também que... O Evangelho da Simplicidade é muito mais do que uma resposta à crise vivida pelos cristãos dos dias atuais, diante do consumismo, bens, riquezas, busca do sucesso, fama e prazer (1 Tm 6:8); ela é uma disciplina cristã essencial que se deve praticar para a nossa saúde espiritual; uma disciplina que requer a ação interior da graça de Deus (viver no Espírito) até que seja extravasada e percebida externamente em nossos atos e comportamentos (andar no Espírito – Gl 5:25); O Evangelho da Simplicidade não é um fim em si mesma, e por isso, não pode operar isoladamente de outros aspectos da devoção cristã. A igreja deve pregar o Evangelho completo e não se deter somente em uma ou duas doutrinas, enfatizando-as sobremaneira ao ponto de transparecer que os demais temas do Evangelho são desnecessários ou de segunda categoria (2 Tm 3;16). A simplicidade deve estar em todos os aspectos da vida cristã, e como “Evangelho” precisa ser analisado de forma coletiva, à luz de outras práticas e virtudes cristãs, como a oração, comunhão, obediência, etc.
Logo a verdadeira experiência espiritual com o evangelho de Jesus (o evangelho da simplicidade) requer um coração aquecido e não sentidos aguçados. Precisamos elevar nossos afetos por Cristo, seu reino, sua Palavra e seu povo, e não os níveis de sofisticação e exigências institucionais. O vaso deve ser de barro, sempre. O tesouro que ele guarda, o evangelho simples de Jesus Cristo, é que tem grande valor. A sofisticação produz queixas, impaciência, falta de caridade e egoísmo. A simplicidade sempre nos conduz a compaixão, sinceridade, devoção e auto-doação. Pense nisso, viva com simplicidade, viva melhor.
 E que Deus tenha misericórdia de nós, de todos nós.

Um comentário:

  1. Uma palavra de quem e para quem não se envergonha do Evangelho.

    ResponderExcluir